davies74_ Richard Baker  In Pictures via Getty Images_bank Richard Baker In Pictures via Getty Images

Banqueiros Centrais em seus Devidos Lugares

LONDRES – Na lista da Forbes das Pessoas Mais Poderosas do Mundo em 2012 , Ben Bernanke, na época presidente do Federal Reserve dos EUA, ocupou a sexta posição, enquanto Mario Draghi, na época presidente do Banco Central Europeu, ficou em oitavo lugar. Ambos foram classificados acima do presidente chinês Xi Jinping. Enquanto a economia global lutava com as consequências da crise financeira global que começou em 2008, e sua prima europeia, a crise da zona do euro, os bancos centrais estavam no comando, com a flexibilização financeira, como se não houvesse amanhã. Eles eram, como costumava-se dizer, "o único jogo disponível". Mesmo na época, alguns pensaram que havia um traço de mania de grandeza em sua ascensão.

Desta vez é diferente. Embora os bancos centrais continuem a comprar títulos desbragadamente, a política fiscal tem sido a principal resposta à pandemia do COVID-19. Nos Estados Unidos, o presidente Joe Biden e o Congresso lideraram o ataque. Na União Europeia, o Mecanismo de Recuperação e Resiliência da Comissão Europeia está no centro do plano Next Generation UE de € 750 bilhões (US$ 884 bilhões), enquanto no Reino Unido, o chanceler Rishi Sunak está assinando os cheques.

Então, será que os banqueiros centrais estão magoados, porque desempenham um papel secundário em relação aos ministérios das finanças, uma posição na orquestra à qual poucos aspiram?

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading and receive unfettered access to all content, subscribe now.

Subscribe

or

Unlock additional commentaries for FREE by registering.

Register

https://prosyn.org/SoKczzJpt