rogoff211_Brooks Kraft Getty Images_fed reserve Brooks Kraft Getty Images

Serão os bancos centrais culpados pelo aumento da desigualdade?

CAMBRIDGE – A julgar pelo número de vezes que frases como “crescimento equitativo” e “pegada distribucional da política monetária” surgem nos discursos dos banqueiros centrais hoje em dia, fica claro que os formuladores de política monetária estão a sentir pressão à medida que as preocupações com o aumento da desigualdade continuam a crescer. Mas será a política monetária a culpada por esse problema e será realmente a ferramenta certa para redistribuir o rendimento?

Recentemente, uma onda constante de comentários tem apontado a política dos bancos centrais como um fator muito importante de desigualdade. A lógica, simplesmente, é o facto de as taxas de juro hiperbaixas estarem a aumentar implacavelmente os preços de ações, casas, obras de arte, iates e quase tudo o resto. Os abastados, e principalmente os ultrarricos, beneficiam desproporcionalmente.

Este argumento pode parecer convincente à primeira vista. Mas, com uma reflexão mais profunda, não dura muito tempo.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading and receive unfettered access to all content, subscribe now.

Subscribe

or

Unlock additional commentaries for FREE by registering.

Register

https://prosyn.org/4XCVXY1pt